Disney reconhece produção problemática de Mulan

Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

A jogada da Disney de produzir adaptações live-action de seu catálogo de animação parece, no papel, uma estratégia inteligente. Mas com o recente Mulan, essa abordagem tem se mostrado uma curva de aprendizado turbulenta na prática. O filme gerou polêmica, entre outras coisas, a respeito de partes da produção que acontecem na província de Xinjiang, onde estão localizados os campos de internamento – e da Disney dando um agradecimento especial a várias entidades governamentais locais que também estão ligadas ao genocídio cultural. (Para um contexto mais profundo sobre muitas das questões envolvidas aqui, confira o clipe NSFW – embora atraente e excelente – da Última Semana Hoje à Noite de John Oliver.)

Como a Disney tem sido cada vez mais criticada por essas escolhas de produção desde o lançamento do filme na semana passada, Christine McCarthy, diretora financeira da Disney, disse à Variety na quinta-feira que a empresa reconhece a resistência que está recebendo. “Isso gerou muita publicidade”, disse McCarthy. “Vamos deixar isso assim.”

McCarthy também acrescentou que “é comum reconhecer nos créditos de um filme os governos nacional e local que permitiram que você filmasse lá”.

Enquanto isso, houve um apagão da mídia na China continental. Na quinta feira, Reuters relataram que as autoridades chinesas disseram aos principais meios de comunicação para não cobrir Mulan. Quando questionado se a Disney estava preocupada com a forma como a condenação internacional poderia impactar seus negócios, McCarthy disse: “Não sou um preditor de bilheteria”.

Nos Estados Unidos, o filme tem recebido críticas moderadas.

Apaixonado por tecnologia e inovação, traz notícias do seguimento que atua com paixão a mais de 15 anos.

Comments (0)
Add Comment