Resumo de revisão para Stray – Cibersistemas

Início » Games » Resumo de revisão para Stray – Cibersistemas

Stray é a história de um pequeno gato que cai em uma cidade subterrânea habitada inteiramente por robôs. O vira-lata titular fará amizade com um drone, explorará pequenos mundos centrais e resolverá quebra-cabeças com seu cérebro felino enquanto tenta voltar para casa.

As primeiras críticas para o jogo de plataforma de quebra-cabeças são amplamente positivas e apontam para a nova e bem animada mecânica de escalada de gatos do jogo como uma parte fundamental de seu charme.

Agora jogando: Tudo para saber sobre Stray

“É raro um jogo oferecer uma perspectiva totalmente nova de como podemos experimentar um cenário familiar, e mais raro ainda ter toda a sua mecânica projetada em torno dele com tanta confiança”, escreveu Alessandro Barbosa no Stray Review da Cibersistemas. “É uma aventura consistentemente satisfatória com uma história encantadora sobre companheirismo que raramente perde uma batida em seu tempo de execução bem ritmado.”

No site irmão da Cibersistemas, Metacritic, Stray está atualmente com uma respeitável pontuação agregada de 83. Aqui estão o que outros críticos têm a dizer sobre o jogo.

  • Jogo: Disperso
  • Plataformas: PlayStation 5, PlayStation 4, PC
  • Desenvolvedor: Azul Doze
  • Data de lançamento: 19 de julho de 2022
  • Preço: US$ 30

Cibersistemas – 9/10

“A força máxima de Stray é quão bem seu design geral incorpora a perspectiva e as capacidades únicas de seu protagonista, mas também não depende disso para ser a única característica distintiva de toda a aventura. Muito da diversão ao longo do tempo de execução de Stray vem de quão bem cada cenário é projetado para as habilidades de seu herói felino e quão poderoso é poder navegar por seus lindos hubs e cidades abandonadas com a agilidade adicional oferecida.” — Alessandro Barbosa [Full review]

Tendências Digitais — 4/5

“Stray parece um descendente direto de Ico. Há uma sensação subjacente de tragédia presente no mundo robótico isolado, mas o jogo não tem um tom deprimente. A perspectiva felina permite que os jogadores vejam um espaço potencialmente distópico através de olhos sinceramente curiosos. Prédios de apartamentos em ruínas se tornam torres de gatos com muitas saliências para pular e recantos para explorar. Há uma triste história por trás de tudo isso, mas é um jogo sobre uma criatura encontrando uma maneira de sobreviver e prosperar em qualquer ambiente em que seja colocada.” — Giovanni Colantonio [Full review]

Destrutóide — 9/10

“Para realmente levar tudo para casa, acho que valeria a pena falar sobre Stray mesmo se você não jogasse como um gato. Mas porque você joga – e porque o gato parece, sente e age exatamente como deveria – o jogo acaba batendo muito mais forte. Às vezes, pode ser emocional sem dizer uma palavra. Os pequenos detalhes comportamentais na animação vão tão longe.” — Jordan Devore [Full review]

VG247 — 5/5

“Stray é uma história tocante de perda, solidão, destruição ambiental e o que significa ser humano. Mas Stray também é uma história de esperança e conexões significativas, e quão importantes são para nossa sobrevivência. Seja você um gato ou não.” — Kelsey Raynor [Full review]

IGN – 8/10

“Stray é uma aventura deliciosa em um mundo cyberpunk sombrio, mas cativante e esperançoso, e isso se deve em grande parte ao fato de você estar jogando como um gato adorável o tempo todo. Sua mistura de plataformas simples e quebra-cabeças com missões de caça a itens é equilibrado muito bem ao longo da história de aproximadamente cinco horas – e embora eu desejasse que meu movimento fosse um pouco mais ágil durante esse tempo, eu ainda adorava pular pelos telhados e correr pelos becos para encontrar seus segredos bem escondidos.” — Tom Marks [Full review]

Polígono — Sem pontuação

Stray não faz nada de novo. Mas através da manipulação estratégica de nosso amor por gatos, isso me dá uma janela profundamente sentimental para meu relacionamento com Oni – meu primeiro gato, por quem sou obcecada. Comecei a projetá-lo no protagonista desde o início, e sua presença constante enquanto eu jogava criou uma estranha experiência meta do design emocional de Stray. É uma jornada marcadamente diferente de cultivar o cuidado com um personagem em um RPG típico, cujas peculiaridades e características adoráveis ​​devem ser aprendidas ao longo do tempo, por meio de diálogos, jogabilidade e narrativa. Cada pequeno detalhe em Stray era um lembrete do meu tempo finito com meus companheiros dentro e fora da tela. — Alexis Og [Full review]

A Cibersistemas pode receber uma comissão de ofertas de varejo.

Os produtos discutidos aqui foram escolhidos independentemente por nossos editores. A Cibersistemas pode receber uma parte da receita se você comprar qualquer coisa apresentada em nosso site.

Via Game Spot. Post traduzido e adaptado pelo Cibersistemas.pt

Avalie este post

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *