A Boeing irá refilar sua sonda de passageiros para a NASA sem tripulação após o lançamento estrondoso


A Boeing decidiu reficar sua nova espaçonave de passageiros, o CST-100 Starliner, para a NASA neste outono sem uma tripulação a bordo, três meses após o lançamento do veículo no espaço dar errado. A empresa espera concluir todos os objetivos que a sonda deveria realizar em seu voo inaugural – ou seja, atracar na Estação Espacial Internacional – abrindo caminho para que as pessoas comecem a voar no veículo.

Lojas Americanas

“Voar em outro voo não tripulado nos permitirá concluir todos os objetivos dos testes de voo e avaliar o desempenho do segundo veículo Starliner sem nenhum custo para o contribuinte”, afirmou a Boeing em comunicado. “Vamos então avançar para a tremenda responsabilidade e privilégio de voar astronautas para a Estação Espacial Internacional.” A Boeing confirmou que planeja realizar o voo no outono, como The Washington Post relatado pela primeira vez.

Lojas Americanas

O Starliner é a contribuição da Boeing ao Programa de Tripulação Comercial da NASA, uma iniciativa destinada a desenvolver novas naves espaciais privadas que podem transportar astronautas da NASA de e para a Estação Espacial Internacional. A Boeing desenvolve Starliner nos últimos seis anos. A fim de garantir que o veículo seja seguro para transportar passageiros para a ISS, a empresa fez um lançamento de teste desaparafusado da espaçonave em 20 de dezembro. Mas o vôo não foi como planejado. Logo após o lançamento no espaço, uma falha no relógio do Starliner impediu o veículo de ligar os motores no momento certo e entrou na órbita errada. O veículo não chegou à Estação Espacial Internacional como planejado, e a Boeing teve que trazer a espaçonave de volta à Terra cedo.

Alguns meses após o lançamento, a NASA e a Boeing revelaram que o Starliner também havia experimentado uma segunda falha no software antes do pouso. Felizmente, a Boeing capturou-o durante uma revisão completa dos dados em pleno voo. Mas se a empresa não a tivesse encontrado, a falha poderia ter atrapalhado a sequência de pouso do Starliner, e isso pode ter danificado o veículo no caminho até o chão. Por fim, a Starliner desembarcou com sucesso no Novo México com pára-quedas dois dias após seu lançamento instável.

A NASA e a Boeing se uniram para investigar como o vôo de estréia foi tão errado. A NASA encerrou sua investigação no início de março e apresentou 61 ações corretivas que a Boeing precisava adotar para resolver todos os problemas do lançamento. A NASA também iniciou várias revisões da cultura de segurança e dos processos organizacionais da Boeing. No entanto, a NASA ainda não havia decidido se a Boeing precisava refazer a missão antes que as pessoas pudessem voar no Starliner. “As descobertas e as ações corretivas que a Boeing apresentou – elas agora precisam voltar à NASA com um plano, como vão seguir em frente e abordar todas essas questões”, Doug Loverro, administrador associado da NASA para voos espaciais humanos, disse durante uma conferência de imprensa sobre a investigação em 6 de março.

Agora parece que a Boeing tomou essa decisão para a agência espacial. A Boeing também já reservou o dinheiro necessário para financiar a missão de reforma. Em janeiro, a empresa alocou US $ 410 milhões caso fosse necessário um segundo voo de teste desaparafusado da Starliner.

A NASA diz que apóia totalmente a ligação, de acordo com um post da agência espacial. “Se a Boeing tivesse proposto uma missão tripulada como o próximo vôo, a NASA concluiria uma revisão e análise detalhadas da proposta para determinar a viabilidade do plano”, de acordo com a publicação do blog. “No entanto, como essa não foi a recomendação feita pela Boeing, a NASA não especulará sobre o que a agência exigiria.” Os dados do próximo vôo, bem como o de dezembro, serão usados ​​para certificar que o Starliner está pronto para transportar pessoas, segundo a NASA. Enquanto isso, a NASA ainda pretende concluir suas análises da cultura da Boeing.

Enquanto isso, o segundo fornecedor de tripulação comercial da NASA, SpaceX, parece prestes a se tornar a primeira empresa privada a lançar astronautas na Estação Espacial Internacional. A SpaceX vem desenvolvendo sua própria cápsula de tripulação, o Crew Dragon, e a empresa pretende pilotar sua primeira tripulação de duas no veículo em maio deste ano.

Atualização em 6 de abril, 19:40 ET: Este artigo foi atualizado para incluir informações de uma postagem no blog da NASA.



Fonte

Leave a Reply

Your email address will not be published.