Activision Blizzard processada pelo acionista por declarações “falsas e enganosas”

A Activision Blizzard está sendo processada mais uma vez, desta vez em uma ação coletiva alegando que a empresa fez declarações “falsas e enganosas” aos acionistas em relação a uma investigação em andamento e eventual processo judicial pelo Departamento de Fair Employment and Housing da Califórnia.

A ação, movida no Distrito Central da Califórnia e movida pelo escritório de advocacia Rosen, com sede em Los Angeles, alega que a Activision Blizzard não informou adequadamente os acionistas sobre a investigação de dois anos e agora está buscando indenização adequada para aqueles que adquiriram recentemente ações da Activision Blizzard .

À luz do processo do estado que acusa a Activision Blizzard de promover uma cultura de “menino de fraternidade” repleta de discriminação e assédio sexual, o processo alega que as declarações sobre as operações de negócios da empresa violavam a lei federal de valores mobiliários. O processo prossegue afirmando que “como resultado dos atos ilícitos e omissões dos Réus, e a queda vertiginosa do valor de mercado das ações ordinárias da Empresa, a Autora e outros membros da Classe sofreram perdas e danos significativos.”

As ações da Activision Blizzard diminuíram continuamente desde que a notícia do processo se tornou pública, e atualmente caíram mais de 7% nos últimos cinco dias. Declarações sobre o processo na Califórnia do vice-presidente executivo da Activision Blizzard, Fran Townsend, e posteriormente do CEO Bobby Kotick, fizeram com que milhares de funcionários atuais e ex-funcionários da Activision Blizzard assinassem uma carta aberta em 27 de julho exigindo mudanças. Centenas de funcionários deixaram o trabalho em 28 de julho.

A ação foi movida pelo demandante Gary Cheng, que comprou ações da Activision Blizzard em algum momento nos últimos cinco anos. O processo nomeia Bobby Kotick, bem como o atual diretor financeiro da Activision Blizzard, Dennis Durkin, e o ex-diretor financeiro Spencer Neumann, como réus. Um porta-voz da Activision Blizzard se recusou a comentar quando contatado pela Cibersistemas.

O presidente da Blizzard, J. Allen Brack, citado no processo do estado da Califórnia como supostamente ciente dos problemas de assédio sexual da empresa, anunciou que deixará a empresa. Ele será substituído por “co-líderes” Jen Oneal, que liderou a Vicarious Visions antes de ser incorporada à Blizzard no ano passado, e Mike Ybarra, que já ocupou um cargo de liderança no Xbox antes de ingressar na Blizzard em 2019.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *