As melhores coisas sobre os atacantes do Persona 5: música, menus, Makoto e muito mais

O trem Persona não vai parar tão cedo com o lançamento do Persona 5 Strikers no próximo mês. Depois de entrar em contato com o jogo, estou mais impressionado com sua mudança para o combate de ação no estilo Warriors e feliz por estar com seu familiar elenco de personagens novamente para uma nova jornada. Em minha prévia do Persona 5 Strikers, eu detalhei o novo enredo, peculiaridades do sistema de batalha renovado e as maneiras como é uma abordagem mais leve do jogo original.

No entanto, ainda preciso de espaço para destacar as pequenas coisas que adoro no jogo até agora – da música incrível e menus chamativos a grandes caracterizações sutis e cutscenes. Esses elementos ajudaram a elevar a experiência além de uma mera adaptação hack-and-slash até agora, e também nos lembram porque amamos o jogo original para começar. Se você quiser uma análise detalhada dos primeiros passos do jogo, certifique-se de assistir nossa discussão detalhada abaixo.

Nova música digna de elogio

Eu sinto que já escrevi sobre as trilhas sonoras de Persona e o trabalho da equipe de som da Atlus muitas vezes, mas Persona 5 Strikers me dá muitos motivos para fazê-lo novamente. Com gente como Atsushi Kitajoh e Gota Masuoka trabalhando com a base do acid jazz e hard rock criada por Shoji Meguro, temos mais músicas para tocar.

Achei um pouco difícil passar do menu principal porque a música tema “Strikers” é tão cativante e descolada, perfeitamente em loop para sempre. Embora não tenhamos o icônico “A vida mudará” quando as coisas atingirem um clímax no metaverso, temos o “Demolidor”, que exala seu próprio senso de confiança inabalável e invulnerabilidade. Há também um novo tema de batalha padrão chamado “O que você deseja”; no entanto, o caos do combate às vezes abafa essa faixa de jazz rock uptempo que merece ser ouvida várias vezes. Isso também está arranhando a superfície.

Remixes das nossas músicas favoritas

Várias músicas do Persona 5 são usadas no Strikers e permanecem intocadas, e é ótimo ouvir essas músicas novamente. Mas é um tipo diferente de empolgação ouvir remix de velhos favoritos.

Eu disse minha parte sobre o remix de “Last Surprise” de Strikers em grande detalhe, mas vou dizer mais uma vez aqui: essa reviravolta melódica de punk / metal ao tema de batalha anunciado de Persona 5 pode até mesmo superar a versão original. “Rivers In The Desert” também tem um remix mais pesado que pega o tempo e as camadas em algumas guitarras distorcidas extras. Enquanto os arranjos originais eram perfeitos para a vibe que Persona 5 estava buscando, essas novas interpretações são mais adequadas para o combate de ação em ritmo acelerado em Strikers. Eles vão fazer você desejar poder se levantar e lutar contra as sombras.

Deixando seu favorito ser a estrela

Mencionei isso na minha prévia, mas o que ajuda a destacar os outros membros dos Ladrões Fantasmas em Strikers é que você pode escolher de quem assumir o controle direto ao explorar o Metaverso, em vez de sempre ter Joker na liderança. O pessoal tem seu personagem favorito e agora pode ser a estrela do show. É uma coisa relativamente pequena, mas adiciona um pouco de emoção nova, especialmente porque Makoto agora pode liderar o caminho passando por pontos de cobertura, pulando entre telhados e arrancando máscaras de sombras para iniciar uma emboscada. Porém, na verdade, também parece que é a jornada de todos.

Nenhuma legenda fornecida

A individualidade de cada personagem brilha

Em combate, cada personagem funciona de maneira diferente. Embora todos sigam um padrão de combinação semelhante, as propriedades e efeitos de cada um de seus combos são únicos. Por exemplo, os golpes do machado de Haru são pesados ​​e podem levar a um ataque AOE giratório, enquanto Ryuji pode carregar um golpe de morcego para aumentar o dano. Makoto pode pular em Johanna e passar por várias sombras, e Morgana pode fazer algo semelhante se transformando no ônibus dos gatos. Uma das melhores coisas sobre esse elenco é sua individualidade, e isso realmente transparece na experiência de jogo real.

Pequenos passos de Morgana

Eu sei que existem odiadores de Morgana por aí, mas eu amo muitíssimo gatos e tenho uma queda por Morgana. Claro, ao controlar qualquer outra pessoa no metaverso, eles darão passos normais de tamanho humano enquanto correm, mas como diabos Morgana mantém o ritmo quando você o controla? Bem, quando você o faz, ele dá esses pequenos passos rápidos enquanto sua grande e velha cabeça está balançando, é lindo uwu.

Uma referência da Wild Yakuza aparece

No capítulo de abertura, você será capaz de andar por áreas familiares em Tóquio. Você não pode realmente se envolver com o mundo da mesma forma que faria no jogo original, mas pode conversar com seus amigos que estão espalhados pela cidade. Se você abordar Makoto pelo cinema na Central Street, ela o acertará com uma referência selvagem da Yakuza.

Nenhuma legenda fornecida

Maneira de comercializar um jogo da Sega dentro um jogo da Sega, acho que ouviram que gostamos de jogos da Sega. Conversa real; você deveria dar uma olhada naquele jogo ou pelo menos dar uma olhada na minha análise de Yakuza: Like a Dragon para ver do que se trata todo esse alarido – ele até fez parte da nossa lista dos 10 melhores jogos de 2020.

Cutscenes pré-renderizados doces

Uma coisa que eu gostaria que Persona 5 (e Royal) tivesse mais cenas animadas. Esses foram um mimo que mostrou os personagens em momentos cruciais da história com uma semelhança inspirada em anime. Embora Strikers tenha algumas próprias, também há cenas pré-renderizadas que são uma espécie de intermediário. Eles pareciam um pouco estranhos no começo, de um jeito meio G-mod, mas eles foram muito bem feitos até agora, dando um pouco mais de brilho e estilo aos momentos críticos da história.

Sophia, Companheira da Humanidade

Sophia é uma das novas caras do Persona 5 Strikers e junta-se à equipa logo no início. Ela assume uma forma humana no metaverso e atua como uma inteligência artificial baseada no telefone no mundo real, ganhando seu título autoproclamado de “companheira da humanidade”. Ela se encaixa bem com o resto da tripulação com seu próprio charme e sensibilidade de combate, enquanto também é sua guia no Metaverso. Ela é uma inteligência artificial sem memórias, mas por favor, Atlus, não nos faça lutar contra ela em alguma reviravolta selvagem.

Nenhuma legenda fornecida

Os menus desnecessariamente rebatidos

Os menus do jogo nunca pareciam tão bons até o Persona 5, e o Strikers carrega essa tradição quase superando o original. Verificar seus itens muda para um holofote roxo com Haru e Morgana abrindo um baú, o menu de equipamentos mostra Joker e Ryuji tentando agir duro, o menu da festa tem Joker e Ann sentados em um telhado sob luzes rosa – basicamente, todos entendem ser um showoff e eu adoro isso. Sophia, como sua lojista, ganha seu próprio cardápio de espumantes e animações quando você compra itens e equipamentos.

Talvez eles não sejam os melhores funcionalmente, já que algumas transições não são exatamente rápidas, mas o fator legal mais do que compensa isso.

Os ladrões fantasmas sabem o que são

Os Ladrões Fantasmas não confiam na polícia, de cara. Persona 5 deixou isso bem claro, mas caso você não tenha percebido, Strikers lhe dá um lembrete claro. Nasce da desconfiança em relação às figuras de autoridade responsáveis ​​pelo trauma que enfrentaram no passado e não parecem estar recuando neste novo jogo.

Um novo personagem, Zenkichi Hasegawa, é um detetive encarregado de ficar de olho nos movimentos dos Ladrões Fantasmas, pois eles são suspeitos de causar comportamentos anormais no mundo real novamente. Há muito mais nele do que o horário de funcionamento indica, mas sua desconfiança inicial em relação a ele não esconde onde eles estão. Haru diz isso, e diz com o peito. Yusuke a apóia também. Se você tiver um problema com isso, converse com eles.

Nenhuma legenda fornecida

Tocando agora: Persona 5 strikers: como se compara ao original

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *