Bungie Explorou Assinando Contrato de Destino com Microsoft ou Sony

Antes da Bungie concordar com um acordo de publicação histórico com a Activision para a franquia Destiny, o estúdio considerou assinar com a Microsoft ou Sony para a franquia. Em declarações à GamesBeat, o ex-escalão da Bungie, Martin O’Donnell, disse que a Bungie rejeitou as oportunidades de parceria com a Microsoft e a Sony porque essas empresas aparentemente queriam possuir a propriedade intelectual e isso era um obstáculo para a Bungie.

Trabalhar com a Activision permitiu que a Bungie retivesse a propriedade do Destiny IP, e esta foi parte da razão pela qual a Bungie assinou com a editora Call of Duty, disse O’Donnell. Em seus comentários, O’Donnell usou aspas no ar ao dizer que a Activision “permitiu” que a Bungie possuísse Destiny, aludindo ao relacionamento supostamente tenso entre a Bungie e a Activision.

O ex-chefe do PlayStation Worldwide Studios Shawn Layden também foi destaque na entrevista do grupo, e ele tinha um enorme sorriso no rosto enquanto O’Donnell estava contando sua história.

“Quase ficamos com a Microsoft. Quase fomos para a Sony, acredite ou não”, disse O’Donnell. “Tanto a Microsoft quanto a Sony, e Shawn provavelmente podem confirmar isso, querem possuir o IP se puderem. Então, a Activision nos permitiu [air quotes] possuir o IP, e o quão bem-sucedido isso acabou sendo, é uma coisa totalmente diferente. “

Esta não é a primeira vez que O’Donnell falou sobre os primeiros dias de Destiny e por que escolheu a Activision como editora. Em 2020, O’Donnell observou: “A razão pela qual optamos pela Activision não foi apenas o dinheiro, mas foi porque, como parte do contrato – eles não possuíam a propriedade intelectual.” Ele confirmou na época que a Bungie quase assinou com a Microsoft pelo Destiny, mas esta é aparentemente a primeira vez que ouvimos que a Sony também estava concorrendo.

O’Donnell disse que possuir a Destiny IP era um item “não negociável” nas discussões sobre potenciais parcerias de publicação para a série.

Enquanto a Sony não ganhou o contrato para publicar Destiny, a Activision fez parceria com a empresa em vários acordos de co-marketing que trouxeram uma série de conteúdo para os usuários do PlayStation primeiro.

Naquela entrevista anterior, O’Donnell aludiu a uma das razões pelas quais a Bungie o demitiu. Ele sugeriu que alguns membros da equipe de liderança da Bungie queriam dar à Activision mais controle de Destiny, e ele não estava entre eles.

“Essa foi provavelmente a minha maior decepção – trabalhamos por uma década para ter certeza de que poderíamos enfrentar o editor e dizer, não, somos donos do IP – você não pode mexer com isso. E eu fui rejeitado e eventualmente liberado “, acrescentou.

O’Donnell também compartilhou uma história interessante sobre um jantar que teve com o CEO da Activision Blizzard Bobby Kotick e um CFO que O’Donnell se referiu como um austríaco da “Escola de Economia de Viena”. Ele nunca menciona um nome, mas o ex-CFO da Activision era Thomas Tippl, um austríaco que estava envolvido no negócio para assinar a Bungie para Destiny.

O’Donnell compartilhou que ele tem um ditado, “seja bom com o ganso”, o que significa que você deve ser bom com o ganso porque é daí que vêm os ovos de ouro. Nessa analogia, a Bungie é a galinha dos ovos de ouro que é o Destino. Esse executivo austríaco anônimo disse a O’Donnell: “Sim, gosto dessa história … ovos de ouro … a galinha dos ovos de ouro. Mas às vezes não há nada como um bom Foie gras.”

Foie gras é a culinária francesa feita com fígado de ganso depois que o pássaro é engordado por alimentação forçada. O’Donnell estava assustado com o fato de a Activision ver a Bungie como um ganso a ser engordado e morto, e hoje ele gostaria de ter levantado questões para seus colegas.

No geral, O’Donnell disse que tinha dúvidas sobre o acordo de Destiny com a Activision desde o início. “Acabou sendo exatamente tão ruim quanto pensávamos que seria. Todo mundo que não trabalha mais para a Bungie vai dizer: ‘Sim, foi ruim desde o início'”, disse ele.

A Bungie e a Activision se separaram em janeiro de 2019, com a Bungie mantendo a propriedade da série Destiny e avançando na capacidade de autopublicação.

O’Donnell agora está trabalhando com a Highwire Games no Six Days in Fallujah.

Tocando agora: The Devils ‘Lair – Comparação Destiny VS Destiny 2

Cibersistemas pode receber uma comissão de ofertas de varejo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *