Glenn Close recebe Oscar e Razzie Nomeado para o mesmo papel na elegia do caipira

Os recém-anunciados têm algo surpreendente em comum com: Ambos incluíram a atuação de Glenn Close em Elegia Hillbilly para concorrer a sua maior homenagem concedida às atrizes coadjuvantes.

Em ambas as listas, Hillbilly Elegy aparece duas vezes para indicados ao Oscar (Atriz em papel coadjuvante e maquiagem e penteado) e três vezes para Razzies (pior atriz coadjuvante, pior diretor e pior roteiro). Como foi útil apontar e também listar diligentemente, esta situação não é totalmente incomum – houve outras temporadas de premiação em que um ator foi simultaneamente homenageado por seus melhores e piores desempenhos no mesmo ano. O que é incomum em Hillbilly Elegy, no entanto, é o mesmo ator recebendo ambas as indicações para o mesmo papel – o que pode ser mais um suporte para a crença de que o único objetivo da arte deveria ser causar uma reação, ponto final.

Hillbilly Elegy, um drama co-estrelado por Glenn Close e Amy Adams (Arrival, The Fighter), foi lançado no Netflix em novembro. Dirigido por Ron Howard e adaptado de um livro de memórias de 2016 com o mesmo nome por JD Vance, o filme é uma exploração do sonho americano por três gerações de uma família dos Apalaches em Ohio.

Apesar do pedigree impressionante de Hillbilly Elegy – além dos nomes mencionados acima, a adaptação foi escrita pela co-autora de The Shape of Water, Vanessa Taylor – e abordando temas relevantes levantados pela pandemia, como preocupações com o colapso social, o filme foi não é bem recebido pelo público ou pela crítica. De acordo com o Metacritic, que calculou uma pontuação média ponderada de 38 em 100 com base em 43 críticos, o filme recebeu “críticas geralmente desfavoráveis”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *