O chefe de RH da Bungie desce no relatório Wake Of Toxic Workplace

Após mais de 14 anos de serviço, o chefe de RH Gayle d’Hondt da Bungie anunciou que está deixando seu cargo na empresa. A notícia chega menos de uma semana depois que a IGN publicou um extenso relatório detalhando a cultura de trabalho do desenvolvedor do Destiny 2 – incluindo sua longa história de discriminação, práticas trabalhistas antiéticas e a proteção sistêmica do departamento de RH aos abusadores. d’Hondt disse que, embora esteja “orgulhosa” do trabalho que fez, ela está ansiosa para ver a empresa “progredir” com a adesão “em grande parte composta por pessoas novas na Bungie”.

“Acredito que fiz recomendações que atendiam aos melhores interesses de nosso pessoal e a serviço da empresa que desejamos nos tornar”, disse d’Hondt. “Também acredito que cometemos alguns erros e que, para nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos – a empresa que sei que podemos ser – temos que reconhecê-los e enfrentá-los, de boa fé, e crescer juntos.”

XBOX em Oferta

d’Hondt compartilhou a notícia em um e-mail distribuído aos funcionários hoje (via IGN), escrevendo que ela está oficialmente deixando seu cargo de gerente sênior de relações com funcionários, mas “trabalhará com Holly [Barbacovi, chief people officer] e a equipe de liderança da Bungie para determinar quais são as próximas etapas apropriadas. “Ainda não está claro se isso significa ou não que d’Hondt permanecerá na equipe em uma posição diferente após sua saída do RH.

Além de sua demissão, d’Hondt também usou a carta para compartilhar suas próprias experiências com a empresa, afirmando que seu tempo na Bungie a incluiu trabalhando em “conflitos interpessoais profundamente desafiadores”, como ter de demitir funcionários para “desempenho, mau comportamento e por discriminação, racismo e assédio sexual. ” Ela então acrescentou que isso incluía seu próprio agressor, “um homem, um executivo e alguém que pensei ser meu amigo na Bungie”, que acabou sendo despedido.

Embora quem está assumindo a d’Hondt ainda não tenha sido anunciado, o ex-chefe de RH disse que a equipe sabe “que eles precisam ser confiáveis ​​para serem seus defensores – não rotulados como ‘facilitadores’ ou vistos como recursos da empresa que fornecem atores mal-intencionados com um porto seguro “, e ela está fazendo” tudo ao seu alcance para garantir que todos os que trabalham aqui tenham um ambiente seguro, acolhedor e de apoio “. Com base na declaração compartilhada pelo CEO da Bungie, Pete Parsons, logo após o relatório inicial, a renúncia de d’Hondt é aparentemente o primeiro passo no plano da empresa para melhorar as condições de trabalho dentro da empresa.

Cibersistemas pode receber uma comissão de ofertas de varejo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *