Riot e Bungie unem-se para processar Destiny 2 e Valorant Cheat-Traficantes

Trapacear pode ser um grande assassino de diversão em jogos multiplayer populares, e recentemente desenvolvedores de renome têm tomado medidas cada vez mais descaradas para tentar impedir que trapaceiros obtenham lucro com o infortúnio dos outros. Agora, a Riot e a Bungie estão se unindo para registrar uma queixa conjunta contra Cameron Santos, que possui vários sites que vendem cheats para Destiny 2 e Valorant. Gatorcheats é o mais conhecido dos sites listados no processo.

A ação foi movida na Califórnia em 8 de janeiro e alega que Santos está traficando em “um portfólio de cheats e hacks maliciosos”. De acordo com a ação, Santos e sua equipe vendem seus cheats por e-mail, Telegram, Discord e outras plataformas. A fim de remediar os danos causados ​​pelo serviço, a Bungie e a Riot estão pedindo ao tribunal que o feche completamente. A Activision Blizzard enviou anteriormente uma carta de cessar e desistir à Gatorcheats no ano passado, o que fez com que o site parasse de vender cheats relacionados ao Call of Duty. No entanto, o site continuou vendendo cheats para jogos não COD como Valorant e Destiny 2, daí esta ação legal. Niantic, criador da Nintendo, Activision, Epic Games e Pokémon Go, entraram com processos semelhantes nos últimos anos.

“O sucesso de [Riot and Bungie’s games] depende deles serem agradáveis ​​e justos para todos os jogadores, e [they] gastar uma quantidade enorme de tempo e dinheiro para garantir que este seja o caso “, diz uma parte do caso, que foi obtido pela primeira vez pela Polygon.” A conduta dos réus causou, e continua a causar, danos massivos e irreparáveis ​​a [Riot and Bungie] e seus interesses comerciais. “

Tocando agora: Revelado o logotipo da Xbox Series X e os trapaceiros da zona de guerra | Estado salvo

Cibersistemas pode receber uma comissão de ofertas de varejo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *