Gás fosfina encontrado em Vênus que pode indicar sinais de vida

Gás fosfina encontrado em Vênus que pode indicar sinais de vida

14 de September, 2020 0 By António César de Andrade
Click to rate this post!
[Total: 0 Average: 0]

A atmosfera de Vênus contém traços de gás fosfina – que na Terra está associada a organismos vivos – disseram cientistas na segunda-feira, em uma descoberta que levanta a perspectiva “atraente” de que poderia haver sinais de vida.

As condições em Vênus são frequentemente descritas como infernais, com temperaturas diurnas altas o suficiente para derreter o chumbo e uma atmosfera composta quase inteiramente de dióxido de carbono.

Uma equipe de especialistas usou telescópios no Havaí e no deserto do Atacama, no Chile, para observar a cobertura de nuvens superior de Vênus, a cerca de 60 quilômetros (45 milhas) da superfície.

Eles detectaram traços de fosfina, um gás inflamável que ocorre na Terra a partir da quebra da matéria orgânica, em uma descoberta que dá uma nova visão das condições do nosso vizinho planetário mais próximo.

Escrevendo na Nature Astronomy, a equipe enfatizou que a presença de fosfina por si só não prova a presença de vida em Vênus.

“PH3 [Phosphine] poderia se originar de uma fotoquímica ou geoquímica desconhecida, ou, por analogia com a produção biológica de PH3 na Terra, da presença de vida ”, escreveram.

ASSISTA AO BRIEFING DE IMPRENSA COMPLETO ABAIXO

No entanto, como as nuvens que giram em torno de sua superfície grelhada são altamente ácidas e, portanto, destroem a fosfina muito rapidamente, a pesquisa mostrou que algo a estava criando de novo.

Falando em um briefing da Royal Astronomical Society para anunciar o evento, a professora Sara Seager enfatizou: “Não estamos afirmando que encontramos vida em Vênus … estamos alegando a detecção de gás fosfina cuja existência é um mistério.”

Ela disse que isso criou uma “possibilidade empolgante e atraente … de que talvez haja alguma vida nas nuvens de Vênus”, pois “na Terra, a fosfina está associada apenas à vida”.

“Gostaríamos de ver nossa medição de fosfina confirmada em outros comprimentos de onda”, disse ela.

“Esperamos que nosso trabalho motive missões espaciais que vão a Vênus”.

Os pesquisadores realizaram vários cálculos de modelagem em uma tentativa de explicar a nova produção de fosfina.

Eles concluíram que sua pesquisa forneceu evidências “para uma química anômala e inexplicada” em Vênus.

Alan Duffy, um astrônomo da Swinburne University e Cientista Principal do The Royal Institution of Australia, disse que foi “um dos sinais mais emocionantes da possível presença de vida fora da Terra que eu já vi”.

Ele advertiu, porém, que embora fosse tentador acreditar que a fosfina foi produzida por formas de vida, “temos que descartar todos os outros meios não biológicos possíveis de produzi-la”.

Vênus é um assunto de intenso interesse entre os astrônomos.

É tão próximo e de tamanho semelhante à Terra que alguns especialistas acreditam que serve como um alerta sobre os perigos de uma mudança climática descontrolada.