Geoff Johns ainda está na Warner Media, apesar das alegações de Ray Fisher, da Liga da Justiça

O ator Ray Fisher, conhecido por seu papel como Cyborg no filme da Liga da Justiça de 2017 e na minissérie da HBO Max, Zack Snyder’s Justice League, está em conflito com a WarnerMedia por mais de um ano após sua experiência durante as filmagens da Liga da Justiça com o diretor substituto Joss Whedon. Fisher afirmou na quinta-feira em um tópico do Twitter que o antigo mentor da DC e executivo da WarnerMedia, Geoff Johns, estaria saindo como parte da recentemente anunciada “ação corretiva”.

Fisher fez acusações à própria WarnerMedia, ao diretor Joss Whedon, aos executivos Geoff Johns, Jon Berg e, mais recentemente, ao presidente da DC Films, Walter Hamada. Pouco antes do ano novo, Fisher chamou Hamada de “o tipo mais perigoso de capacitador” e sugeriu que Hamada tentava minar a investigação das acusações da Liga da Justiça de Fisher. Fisher encerrou o tweet dizendo que “não participaria de nenhuma produção associada a [Hamada]. ‘

As últimas acusações vêm na sequência de um artigo agora editado de TheWrap, que afirmava que a participação especial do personagem de Fisher, Cyborg, seria cortada do roteiro do filme Flash de longa gestação, e que o personagem não seria reformulado . Na peça, TheWrap caracterizou Fisher como tendo renunciado ao papel. Fisher questionou a descrição da situação.

“Eu sugiro fortemente que o TheWrap altere este artigo imediatamente”, escreveu Fisher. “Embora eu aprecie o desejo imorredouro do repórter de fazer @wbpictures e as ofertas de Walter Hamada – é factualmente impreciso. Eu não renunciei publicamente a nada.”

“Se @wbpictures tomou a decisão de me remover do Flash, ao invés de abordar, de alguma forma, Walter Hamada adulterando a investigação de JL – isso é com eles. A ideia de remover o papel, em vez de reformulá-lo, é apenas sendo usado para tentar evitar reação pública. “

Fisher continuou a criticar a Warner Bros. antes de dobrar sua afirmação anterior de que Joss Whedon deixou sua série da HBO, The Nevers, como resultado direto da investigação WarnerMedia / Justice League. Fisher então acrescentou que “Geoff Johns seguirá o exemplo.” Além de suas acusações de “comportamento grosseiro, abusivo, não profissional …” de Whedon, Fisher também acusou Johns de comportamento racista em outubro passado.

Variety relata que Johns tem vários projetos em andamento na WarnerMedia e continua trabalhando com a empresa, e afirma que várias fontes foram capazes de confirmar as informações. Johns continua seu trabalho como showrunner em Stargirl da CW, e é produtor executivo de séries como Doom Patrol, Batwoman, Titans e Superman & Lois.

Walter Hamada renovou recentemente seu contrato com a WarnerMedia para continuar em seu papel como presidente da DC Filmes, apenas uma semana depois de anunciar o ambicioso plano da WarnerMedia de lançar seis filmes DC por ano – com quatro destinados ao lançamento nos cinemas e dois para lançamento exclusivamente na HBO Max.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *