Na chamada Era dos Streamings, iniciada na década passada, eleger as melhores séries de todos os tempos é algo ainda mais custoso.

Devido ao alto volume de plataformas e produções de destaque anualmente, até as premiações e a crítica especializada sentem dificuldades para acomodar todas as séries de peso entre os seus contemplados.

Entretanto, existem alguns medidores eficientes para realizar esse cálculo. Entre eles, é possível destacar a pontuação de crítica e audiência adotada pelo agregador estadunidense Rotten Tomatoes.

O site em questão conta com um consenso dos especialistas a respeito das séries, destacando uma opinião geral que funciona como justificativa para a nota. Portanto, esse foi um dos critérios usados para a elaboração dessa lista com as 14 melhores séries de todos os tempos.

O segundo critério foi a revista Empire, que elencou as 100 Melhores Séries de Todos Tempos levando em conta a recepção, a qualidade técnica e o impacto cultural do programa, obtendo um resultado abrangente.  

As 14 melhores séries de todos os tempos

E aí, preparado para conhecer as melhores séries de todos os tempos e começar a maratonar agora mesmo? A seguir, será possível conferir um recorte do tema com base nos critérios que apresentamos acima.

1. Breaking Bad

Não é difícil encontrar Breaking Bad em listas das melhores séries de todos os tempos. A crítica especializada se derreteu em elogios para o programa da AMC durante as suas cinco temporadas, refletindo em uma aprovação de 96%.

Porém, o sucesso de uma série também é feito pela recepção do público. Embora Breaking Bad tenha demorado a conquistar o coração da audiência, fato que só aconteceu por volta da sua terceira temporada, quando o momento chegou, a história de Walter White (Bryan Cranston) e Jesse Pinkman (Aaron Paul) arrebatou corações, o que culminou em uma taxa de aprovação de 97%.

O resto é história e atualmente Breaking Bad é apontada como uma das séries mais influentes já feitas na história da TV estadunidense.

2. Game of Thrones

A última temporada de Game Of Thrones foi alvo de controvérsias, visto que muitos fãs e críticos não gostaram do desfecho dado aos personagens de Westeros. Porém, o sucesso da HBO não chegou a sofrer tanto com isso.

Atualmente, Game of Thrones possui 89% de aprovação da crítica especializada e 85% de aprovação do público. Além disso, a série inspirada na obra de George R. R. Martin segue como a mais premiada em uma edição do Emmy, tendo levado para casa 12 estatuetas na mesma noite.

Portanto, mesmo com todos os contratempos, é possível afirmar que Game of Thrones ainda é digna de figurar entre as melhores séries de todos os tempos.

3. The Sopranos

https://www.youtube.com/watch?v=u9qpFgAa52U

The Sopranos é considerada uma revolução na forma de fazer TV. Lançada pela HBO em 1999, a série foi responsável por uma verdadeira reformulação nos dramas. Além da sua qualidade técnica e de roteiro, o seu principal diferencial foi colocar um anti-herói como protagonista.

Para ousar ainda mais, The Sopranos pegava um tema já bastante explorado – a máfia italiana – e adicionava elementos interessantes, como a crise de consciência de Tony (James Gandolfini), que chega a procurar pela ajuda de uma terapeuta para lidar com os reflexos dos seus crimes.

O resultado foi a aclamação generalizada: atualmente, The Sopranos possui 92% de aprovação por parte da crítica. Porém, quando se fala da audiência isso se amplifica e a série soma 98%.

4. Friends

Friends foi um fenômeno. E até os dias de hoje, quando quase 20 anos se passaram da exibição do último episódio, gera interesse. Para confirmar basta observar os números expressivos atingidos pelo especial The Reunion, lançado esse ano pelo HBO Max.

Além disso, Friends é uma série que segue cativando. É possível encontrar entre as pessoas que elogiam – o total de 94% da audiência – públicos de todas as idades, destacando a capacidade de ultrapassar gerações com um humor palatável e identificável.

O mais curioso é que a série foi feita de forma despretensiosa. Tanto é que no ano do seu lançamento vários atores, como Lisa Kudrow, seguiram tocando projetos paralelos pelo medo de apostar as suas fichas em Friends.

5. Lost

Lost foi um fenômeno global desde o seu lançamento, em 2004. A série criada por J.J Abrams, Damon Lindelof e Jeffrey Lieber fez o mundo parar para tentar compreender como todos os passageiros de um voo que caiu no oceano pacífico sobreviveram.

Por muito tempo, Lost se sustentou com base nos mistérios, que acabaram se tornando o centro das especulações e o motivo para que muitas pessoas acompanhassem a trama. Mas, os roteiristas sempre foram claros quanto ao seu interesse no humano e esse sempre foi o diferencial da série.

Através de recursos como o flashback e o flashforward, Lost conseguiu trazer aprofundamento para os personagens e quem alcançou o seu verdadeiro sentido acabou gostando. Atualmente, mesmo com as controvérsias, a série possui 91% de aprovação da audiência.

6. Doctor Who

Doctor Who passou por várias reformulações ao longo dos anos. Dessa forma, atualmente a série tem a sua estreia contada a partir de 2005, ano no qual foi significativamente modernizada. Entretanto, se a palavra “estreia” for levada ao pé da letra, na verdade, o programa está no ar desde 1963.

Durante todo esse tempo, Doctor Who seguiu conquistando a audiência. Apesar de alguns contratempos nas suas últimas temporadas, ela ainda é objeto de culto pelos fãs de ficção científica e conta com 92% da aprovação da crítica especializada.

O seu tom de comédia e a característica episódica contribuem bastante para as possibilidades de reformulação e garantem espaço para Doctor Who entre as melhores séries de todos os tempos, não importando a década que se fala.

7. Twin Peaks

Existem inúmeros motivos para que Twin Peaks seja considerada uma das melhores séries de todos os tempos. O primeiro deles é o criador, David Lynch, conhecido no cinema por seus trabalhos surrealistas. Assim, quando uma série feita por ele foi anunciada para uma rede de TV aberta ninguém sabia o que esperar.

Porém, Lynch soube dosar as suas características e manter o onírico em detalhes da narrativa de Twin Peaks, voltando a trama para o mistério do assassinato de Laura Palmer (Sheryl Lee).

O resultado foi uma primeira temporada aclamada pela crítica e a renovação para o segundo ano, que acabou sendo menos elogiado devido a algumas pressões da emissora e ao afastamento de David Lynch.

Mas, nem isso conseguiu derrubar Twin Peaks aos olhos de público e crítica visto que a série conta com, respectivamente, 89% e 82% de aprovação.

8. Mad Men

Mad Men é considerada uma das melhores séries de todos os tempos devido à sua forma inovadora de contar uma história. Sem se preocupar com grandes reviravoltas, ela está muito mais interessada no estudo de personagens.

O público é apresentado a uma gama de personas ambíguas. Don Draper (John Hamn), o protagonista, é um homem completamente sem moral e que desafia o telespectador a ter alguma empatia por ele. Mas, o texto escrito por Matthew Weiner faz com que a audiência se importe com o publicitário mau caráter.

Além disso, os coadjuvantes são igualmente interessantes. Embora o mais óbvio seja falar sobre Peggy (Elizabeth Olsen), que se torna quase uma co-protagonista, é impossível ignorar personagens como Joan (Christina Hendericks) e Betty (January Jones).

Atualmente, Mad Men conta com a aprovação de 94% da crítica e 96% da audiência.

9. The Leftovers

Criada por Damon Lindelof, um dos nomes por trás de Lost, The Leftovers é uma mistura de drama e ficção científica bastante intrigante. A série tem o desaparecimento de 2% da população mundial como ponto de partida, mas não se interessa por responder o que aconteceu.

Se o enredo não se interessa por isso, o questionamento paira o tempo todo entre os que foram deixados para trás. E não importam os subterfúgios usados por eles para lidar com o luto: os sobreviventes não conseguem encontrar alento e suas perguntas crescem cada vez mais. Até culminar em um final impressionante, considerado por muitos como um dos melhores exibidos pela TV.

Atualmente, The Leftovers possui a aprovação de 91% da crítica especializada e de 90% da audiência. Inclusive, quando a HBO tomou a decisão de cancelar a série após a segunda temporada, o público organizou vários protestos para reverter essa situação e conseguiu garantir um final digno.

10. Band of Brothers

Dois nomes servem para justificar o alarde em torno de Band of Brothers: Tom Hanks e Steven Spielberg, que foram co-produtores da minissérie. Exibido pela HBO em 2001, o drama de guerra rapidamente se tornou um sucesso de público e crítica. O resultado reflete nas suas avaliações atuais que são, respectivamente, 98% e 95%.

Um dos pontos que fazem com que Band of Brothers seja tão elogiada é a sua qualidade técnica. Assim, alguns críticos chegaram a afirmar que caso a produção fosse feita em formato cinematográfico, teria concorrido às principais categorias do Oscar naquele ano e com boas chances de se consagrar vencedora.

Entretanto, acomodar 705 minutos no formato de filme seria impossível. Mas, nem por isso Band of Brothers deixou de receber o reconhecimento merecido. Ainda em 2002, ano no qual se tornou elegível para o Emmy, a produção de Hanks e Spielberg conquistou 19 indicações e venceu em 6 categorias, incluindo Melhor Minissérie.

11. Six Feet Under

https://www.youtube.com/watch?v=VT6Fq1ENb8s

Six Feet Under foi exibida pela HBO entre 2001 e 2005. Em linhas gerais, o drama familiar fala sobre os Fisher, uma família que gerencia uma funerária, e tem como ponto de partida a morte de Nathaniel (Richard Jenkins), o patriarca. A série criada por Alan Ball funciona como um estudo de personagem bastante íntimo.

Sempre partindo do funeral que acontecerá na casa da família, Six Feet Under investiga os sentimentos dos três irmãos, David (Michael C. Hall), Nate (Peter Krause) e Claire (Lauren Ambrose) de maneira próxima, bem como a sua relação com Ruth (Frances Conroy), a matriarca enlutada que tenta se reerguer.

Dona de um roteiro rico, comovente e reflexivo, Six Feet Under possui a aprovação de 81% da crítica especializada e 97% da aprovação do público. Além disso, os seus dez minutos finais são frequentemente destacados como uma das melhores coisas já exibidas pela TV estadunidense.

12. Hannibal

Hannibal Lecter é um dos personagens mais notórios do horror moderno. Imortalizado no cinema por Anthony Hopkins em O Silêncio dos Inocentes, o serial killer com gosto por carne humana esteve presente em umas das poucas produções de horror a conseguir o feito de vencer as cinco principais categorias do Oscar.

Desde então foram feitas várias tentativas de repetir esse sucesso. Mas, todas elas deram errado.

Até que Bryan Fuller (American Gods) assumiu a dianteira e criou Hannibal para a Showtime. A série estrelada por Mads Mikkelsen se desvia completamente do universo construído no filme de sucesso e de todas as outras tentativas.

Apostando mais no charme do psiquiatra canibal do que nas suas características repulsivas, Fuller criou um produto que intrigou o bastante para se manter no ar por quatro temporadas. O resultado foi a aclamação de 92% da crítica e de 94% da audiência.  

13. Fleabag

Em 2019, não existiu uma série mais comentada do que Fleabag. Iniciado dois anos antes de forma modesta, o programa escrito por Phoebe Waller-Bridge estreou no Reino Unido sem qualquer tipo de promessa. O cenário foi modificado após a produção da segunda temporada, que integrou o catálogo do Prime Video.

Então, Fleabag finalmente conseguiu receber o reconhecimento que merecia. Em termos de crítica especializada, ele veio em forma de um enfático 100% de aprovação no Rotten Tomatoes. Mas, a resposta do público não foi menos efusiva e atualmente a comédia dramática possui 94% de avaliações positivas.

Com um enredo simples, o que tornou Fleabag um fenômeno foi a identificação. A protagonista sem nome (vivida pela própria autora) é qualquer pessoa. Os seus dilemas são comuns e a forma como ela lida com eles nem sempre é heroica.

14. Seinfeld

Finalizar uma lista sobre as melhores séries de todos os tempos sem incluir Seinfeld é algo impossível. A comédia criada por Jerry Seinfeld, que interpreta a si mesmo no show, foi um sucesso na década de 1990 e atualmente é considerada pela crítica como “o pai dos sitcoms”, formato de comédia até então pouco explorado.

Baseando-se nas situações cotidianas de um grupo de amigos, Seinfeld foi considerada inovadora por fazer “piada com o nada”, algo que representou uma mudança no humor, distanciando-o do pastelão vigente na TV e no cinema dos anos 1980.

Devido ao seu impacto cultural e aclamação –  89% para a crítica e 93% para o público – a série nunca poderia ser ignorada em um levantamento dessa natureza. Afinal, sem Seinfeld e o seu pioneirismo a rixa entre Friends e How I Met Your Mother sequer existiria.